quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Mais noites sem dormir.

Não, não vem aí um novo recém-nascido. Não. Agora que o MM já dorme e já deixa dormir noites completas, esta sua mãe decidiu desestabilizar o cenário. Como o pequeno já há algum tempo manifestava algum desconforto na cama de grades, ora dava valentes cabeçadas, ora enfiava uma perna ora prendia um braço, achei que estava na hora. Na hora de alargar os seus horizontes numa cama de gente semi-graúda. E no que me fui meter… É cama, é barreira protectora, é edredão sobresselente para amparar uma queda por baixo, é almofada vezes almofada para proteger uma queda por cima, é colchão de apoio no chão para apoiar depois da queda. É vê-lo a sair mafiosamente da cama. É ver-me a entrar no quarto, por essa madrugada dentro, sempre que oiço um ruído (logo escolhi a noite em que se estreou a trovoada deste ano…). Foi uma maratona. É um stress. Vai ser um castigo. Eu mereço.
Be quiet girl…