terça-feira, 31 de agosto de 2010

35 Semanas.

(Imagem removida)

Amanhã entramos na 36ª semana de gestação.
Amanhã começa Setembro.
O "Amanhã" chegou mesmo depressa...

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Em directo, no condomínio.

Desde o regresso das férias que me esforço por, quase todas as noites, depois do jantar, dar uma volta ao condomínio (o que implica subir algumas rampas desagradáveis). Uma vez que os domingos têm estado ocupados com programas vários (outrora, manhã de caminhada) e a hidroginástica está suspensa por motivo de férias, procuro dar algum exercício regular aos músculos e, dado as altas temperaturas dos dias, o período da noite parece-me ser o mais aprazível.

Acontece que, em todas as noites que caminho (num estilo muito próprio, convenhamos, chamar-lhe-ia um andar à pato, embora com um enorme esforço por manter uma postura normal), me deparo com as mesmas pessoas : a senhora solitária na varanda, enquanto o marido na sala vê a Sport TV; o casal de lésbicas que cumpre o ritual do cigarro pós jantar; o macho man que fala alto ao telefone, na janela, enquanto a mulher lava o chão; os amigos do alheio, que se encontram no café e se sentam na esplanada para falar dos desvarios da vida.

Eu. Todos eles. À mesma hora. Quase todos os dias.
Todos cruzamos olhares. Eu penso o que escrevi.
E eles... Eles transmitem-me uma mensagem uníssona : "Esta maluca anda a abusar.... Um destes dias ainda  pare em pleno condomínio e estamos todos metidos numa cena.... estranha!".

Caros Condóminos,
se me lêem, prometo que não. Sou uma miúda discreta. Dizer asneiras, beber alcool em excesso e ter bebés na via pública, não faz parte do meu show.
Com os meus melhores cumprimentos,
Inês.

sábado, 28 de agosto de 2010

Haverá melhor ?

MM: "Mamã, toma. É pa'ti."
Eu: "Obrigada filho. Que desenho tão bonito."
MM: "É um coração. O Maria fez."


Melhor do que isto?
Só mesmo dois corações.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Sketch nocturno.

02h00 - Deito-me.

03h00 - Acordo com vontade de fazer xixi. Penso na logística para me levantar (virar a barriga para o lado de saída da cama, arrastar todas as almofadas entre-pernas, apoiar-me na mesa de cabeceira) e desisto. Acho que aguento.

03h15 - Estou mesmo aflita. A bebé não pára sossegada e pressiona. Não dá para aguentar. Faço o movimento calculado de ancas, arrasto as almofadas entre-pernas, apoio-me na mesa de cabeceira.

03:20 - Já me levantei e consegui chegar à casa-de-banho.

03:21 - Volto para a cama. Procuro a melhor posição. Encaixo as almofadas.

03:25 - Perdi o sono. Tenho fome. Aliás, a bebé tem fome pois esta não é uma hora para se ter fome, mas para se ter sono! Tento ignorar. Não tenho sono. Tenho fome. Levanto-me novamente.

03:45 - Estou na sala, a ver filmes da tanga, a beber leite Nido com Ovomaltine e a comer bolachas Maria com manteiga. A bebé rejubila com o reforço calórico e não pára quieta.

04:15 - Deito-me. Procuro a melhor posição. Encaixo as almofadas.

05:00 - Adormeço.

06:00 - Acordo com vontade de fazer xixi... (Neste momento, caro leitor, por favor volte ao primeiro ponto deste Sketch).

terça-feira, 24 de agosto de 2010

34 Semanas.


Estamos assim, no fecho das 34 semanas.

Para o registo :
- Tenho tido um número crescente de contracções de Braxton-Hicks (não dolorosas mas, discretamente a tornarem-se desconfortáveis);
- Noto uma grande diferença na minha resistência pois, ao fim de uma curta caminhada, sinto logo um peso imenso no baixo ventre (penso que, esta semana, a bébé terá descaído um pouco mais) e que começa a limitar ou impedir o meu ritmo habitual;
- A produção do colostro iniciou-se;
- Tenho os sonos definitivamente trocados (a natureza bem sabe o que faz e está, com a devida antecedência, a reajustar os meus horários biológicos.);
- Ando mais gulosa (mais ?!), e com muito mais dificuldade em controlar os ímpetos de gula - sem dúvida que a rapariga está agora a apostar no reforço da camada adiposa;

À parte destes desconfortos, naturais para o tempo de gestação, sinto-me muito bem. Nem sequer tenho a sensação de estar grávida desde sempre como, muitas vezes, nesta altura, acontece a muitas grávidas.
Estou no meu timing e estou confortável com ele.

Para ti, pequena, que aí estás dentro : começo a sentir vontade de te ver, de te mexer e de te cheirar.
Falta um pouco ( 5 semanas?...) mas, o meu instinto, já apela para estes sentidos.

Ele merece um Óscar.


O meu actor principal, o ilustre pequeno rapaz, Miguel Maria, desempenhou na plenitude o seu papel de espectador da sétima arte. No meio de tão rica programação cultural, à qual nos temos submetido intensamente há cerca de duas semanas (Oceanário, Planetário, Museus, exploração de pomares, etc), hoje repetimos o cinema (no qual o MM se estreou na semana passada) mas, desta vez, em 3D. E ele brilhou. Portou-se exemplarmente, e isso é digno de registo para os seus dois anos e meio.

De ressalvar a qualidade da animação, o Shrek e, hoje, o Toy Story. Ambos brilhantes, com mensagens passadas de forma extremamente inteligente mas, este último, com detalhes de criatividade inigualáveis. Não poderia ter feito melhores escolhas para a iniciação do MM no cinema.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Então e não te cansas, Mãe?



Sim, claro.
Porque é sangue que me corre nas veias, não tinta de caneta.
Porque são músculos que me cobrem os ossos, não folhas de papel.
E hoje sinto-me particularmente cansada. Tenho acompanhado os rapazes nas voltas, tenho-me desdobrado para conseguir as mil formas dos papéis que represento na sociedade mas também tenho sentido falta de mim - o que é especialmente difícil de gerir para alguém que sempre foi extraordinariamente egoísta, individualista e independente.

Mas, no final do dia, vejo-te dormir filho, ou sinto-te na barriga filha, e faço o balanço. E não, não mudaria as minhas escolhas. E assim, esta é uma outra grandeza exclusiva da maternidade, alinha as mais desalinhadas.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

33 Semanas


33 semanas completas.
Mexes-te um pouco menos. Conforme ditam os boletins, estarás maior e com menos espaço para acrobacias. Porém, já distingo bem os teus soluços, toques de pés e o teu espreguiçar.
O facto de andar a tratar das tuas coisas, torna-te ainda mais real. Até esta altura tens estado na minha vida como "a bebé na barriga" e, nestes últimos dias, passaste a ser referenciada como "a bebé que vai chegar" e isso, por mais subtil que pareça, é determinante. Ao fim de 33 semanas surpreendo-me a pensar que vou ter mais um bebé na minha vida. E isso é sublime, para mim, como mãe, mulher e ser humano capaz de renovar vida.

Faltam, no máximo, 7 semanas.
O facto de já ser mais fácil fazer a conta ao contrário, provoca-me um arrepio de ansiedade e medo e, simultaneamente, um suspiro de felicidade e tranquilidade.

domingo, 15 de agosto de 2010

Ser Mãe também é... #6


Adivinhar as formas dos cocós.


MM: "Mamã, o que é isto?" - Olhando para o bacio.
Eu: "É o teu cocó, filho."
MM: "Não Mamãaaaa!!!!!!!!!! É o avião do Mickey! Não vês ?????"

E é sempre isto.
A experiência faz-me agora saber que habitualmente se trata do Avião do Mickey, Camiões ou Nuvens.

sábado, 14 de agosto de 2010

Consulta e Ecografia das 32.

Estamos bem.
O destaque vai para o despiste relativamente ao peso da menina (que, pelos antecedentes, eu temia que fosse abaixo da média) e que está au point. Esta vida que vive em mim tem já 1,785 Kg de corpo e, segundo o obstetra, umas longas pernas. E giras, acrescento eu.

A sua cabeça empurra-me o ventre, as suas mãos coçam-me o umbigo e os seus pézinhos dançam pela minha costela esquerda.

O inicio do Outono aproxima-se. E tu.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Voltámos!

E foi bom. Mesmo bom!
Fizemos de tudo um pouco mas os factores descanso e diversão foram determinantes para a escolha de todas as actividades.
Beneficiar da companhia da família foi um luxo e os dias tiveram sabor a mimos do Pai e as noites a massagens da Mãe. As graças foram de autoria do Mano MM. (do lado da Mãe), e as conversas de verniz partilhadas com a Mana M. (do lado do Pai). O Mano M. (do lado do Pai e da Mãe) fez-nos rir com as preocupações do seu mundo. O Padrasto assegurou a tecnologia e as infraestruturas necessárias à diversão e a Madrasta foi o ponto de ligação com o resto do Mundo (família sui generis a minha, não ?).
A casa do Algarve sabe-me sempre a Natal no Verão.

(Imagem removida)

Foi bom.
Mas, confesso que chegar a uma Lisboa praticamente sem trânsito, onde se pode estacionar e passear sem pressa, também me está a saber muito bem.

domingo, 1 de agosto de 2010