segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

33.


E assim foram, os meus 33.
Aliás, assim começaram, os meus 33.

Confesso que não gosto do protagonismo que este dia me dá. Acho uma chatice o reminder que salta no outlook a alertar para o aniversário de XPTO e nos faz prisioneiros de um telefonema ou de uma mensagem. Não me importo nada se se esquecem dos meus anos. Fico muito mais feliz quando me telefonam, num dia qualquer, e me dizem que se lembraram de mim. Aí o motivo, de facto, sou eu e não um lembrete chato.

Mas, do que gosto realmente no dia 29 de Janeiro?
Da excitação da minha mãe enquanto me vê desembrulhar as infinitas prendas que continua a dar-me.
Do brilho dos olhos do meu pai enquanto me olha e me faz festas no cabelo.
Da ternura do "Parabéns mana" dos meus irmãos.
Do fulgor do meu filho ao soprar as minhas velas.

Parabéns a todos eles por me fazerem sentir uma prenda todos os dias das suas vidas.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Linhas da nossa vida.

Faz hoje um ano que vi uma linha cor-de-rosa à minha frente.
Pela segunda vez senti um misto de felicidade, medo e excitação.
Estava de partida para uma viagem de trabalho ao Porto e, poucos minutos antes de apanhar o combóio, liguei ao Pai. Estava nervosa e nem articulava bem as palavras mas recordo-me de dizer, apesar do óbvio: "Ai... que nervos. Ai que o combóio vem aí. Mas espera, isto pode nem ser certo. Quando chegar ao Porto faço outro teste. Ai que stress! Depois falamos, vem lá o combóio!". E o Pai, ainda surpreso mas sereno, ria-se.


Hoje, essa linha faz parte das principais que traçam a minha vida.
És tu, Teresinha.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Socorro!

Mãe à beira de um ataque de nervos!
Tenho um filho que é uma peste.
Um pirata cheio de energia traquina que se renova a cada milisegundo.



*Quando eu for velhinha e tiveres que tratar de mim, vingar-me-ei.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Dicas de leitura.


Diz-se que as Mães perdem tempo de lazer, nomeadamente os espaços de leitura. Não concordo.

Por cá, lê-se bastante. Bulas de medicamentos e boletins das farmácias de serviço.
Assim de improviso sou capaz de vos enúmerar as contra-indicações da oxolamina e, de olhos fechados, a posologia recomendada. Consigo ainda anunciar, por ordem alfabética, as farmácias de serviço do concelho durante o corrente mês.

Como se constata, lê-se e muito. Aqui vos deixo o TOP 5 dos Best-Sellers:

1. Ben-U-Ron
2. Actifed
3. Atrovent
4. Ventilan
5. Brufen.

Não os catalogaria como romances. Roçam mais o policial.
Apesar de, muitas vezes, terem finais felizes, o protagonista tem sempre que penar bastante para vingar sobre o inimigo.

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

39º de Travessura.


Se vos contasse, metade das traquinices com que o Miguel Maria me brindou, em dois dias que permaneceu em casa, doente, não tornariam a este espaço com receio do contágio. E não falo da gripe.

Só para não me esquecer do que é ter o meu filho DOENTE em casa:
1. Pulverizou todo o seu quarto com o spray nasal da irmã (solução salina). Vidros, chão, roupa. Ah, TV incluída (e, neste momento, já inoperacional);
2. Bebeu, ou melhor mastigou, Ovomaltine com leite (e não o contrário, como qualquer estômago pediria), aí 300g para 100ml;
3. Tentou esfregar a cabeça da irmã com a escova de dentes;
4. Assoou-se às minhas calças e, com desdém, chamou a minha atenção e proferiu "Mamã, que noooojoooo!";
5. É melhor parar por aqui.

Agora imaginem o seu potencial quando não está doente...
Ainda estou a ponderar se o castigo pelas travessuras, se o premeio pela criatividade.

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Ementa do dia.


Hoje serve-se colo para dois, engripados.
Como música ambiente ouve-se tosse a duas vozes e espirros em falsete.
Para sobremesa degusta-se paracetamol.

E assim se vive, na terra da gripe.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Reza o Ditado.

Filho doente, Blogger ausente!

Hoje tenho um.
Por mais que eu cuspa fogo, ande sobre vidros ou salte mortais, duvido que amanhã não tenha os dois.
Agora vou pois tenho ali um petiz, em ritmo veloz, a pulverizar-me a casa de micróbios!

_____________
*Se eu tivesse algum tempo livre formava-me agora em Pediatria.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Perspectivas.


Olho para a obra. Para aqueles que serão os quartos deles.
Boas áreas e uma vista espantosa.
Prevejo a decoração, as cores, as texturas.

E olho para ele e para ela,
E imagino-os nos quartos.
E passo a só conseguir prevê-los... desarrumados!

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Dieta milagrosa.

Prevejo que, depois deste Post, ficarei milionária pois alguém aparecerá para patentear o plano.

Às amigas que me questionam como recuperei o meu peso em menos de três meses, aqui fica o meu acto de boa-fé feminina com a divulgação da dieta milagrosa.

Requisitos: Ter dois filhos pequenos, no mínimo.

Receita:
Amamentar - 6 porções x Dia
Períodos de descanso de 3/4 horas - 2 porções (não consecutivas) x Noite
Refeições repartidas por 2 ou 3 interrupções - 2 porções x Dia
Abrir carrinho de bebé/ Fechar carrinho de bebé - 4 a 6 séries x Dia
Apanhar brinquedos do chão, arrumar brinquedos no móvel - 1 série prolongada x Dia
No supermercado, empurrar o carrinho de bebé com uma mão e puxar o carrinho de compras com a outra - 3 séries x Semana
Com os braços fazer elevações e Upaaaaa, Upaaaaa à menina e, em simultanêo, com as pernas, fazer alongamentos ritmados de cavalinho ao menino - 1 série x Dia (2 séries ao Fim-de-Semana)
- Algum Placebo também ajuda, no meu caso um creme tonificante/reafirmante.

Importante : Nas solicitações nocturnas, levantar-se da cama em estilo acrobático e modo sprint.


Nos intervalos comer tudo o que quiser e lhe aparecer à frente.
Resultados garantidos.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Foi ele que disse.


Na consulta de Pediatria, dos 3 meses da Teresinha.

Pediatra: "A Maria Teresa está óptima! Com um desenvolvimento muito bom."
Eu: "Tambem acho. Parece-me que, somente para os seus 3 meses, está uma vivaça. Talvez seja por ter o irmão constantemente à volta dela a estimulá-la com sons e imagens."
Pediatra: "Isso ajuda Mãe mas não é o que determina o avanço, mas sim, o facto de ser mulher. Pois é, vocês desenvolvem mais, e mais depressa, do que nós, homens, e contra mim falo. Sou médico e estudo o ser humano desde o seu inicio e esta é uma verdade incontestável".


Ah pois é!