sábado, 28 de maio de 2011

Garanhão.

Está a passar um vídeoclip da Beyoncé na TV. O meu filho absorto, imóvel, focado naquela movimentação feminina, diz:
- "Eu gosto disto...".

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Oito.


Só os teus oito meses, minha Teresinha, me fazem vir aqui, investir palavras para as recordações, no meio da agitação desta nossa vida nos últimos tempos.

Acho que começa a ser altura de registar as tuas conquistas:

- Já tens rotinas e gostas de cumpri-las (sais tanto à Mãe...);
- És muito independente. Adoras afagos, encantas-te com mimos mas não dispensas o teu espaço (sais ainda mais à Mãe...);
- Sabes sugerir tudo o que queres;
- Brilhas quando danço contigo;
- Enamoras-te do teu Pai, sempre que ele chega;
- Tens a particularidade de chuchar no dedo polegar direito, as chuchas são brinquedos;
- Só gostas de iogurte aquecido;
- Aliás, só gostas mesmo de tudo quentinho (já disse que sais à Mãe?);
- Já comes peixe. E gostas! (Tão Mãe, tão Mãe!!);
- Despachaste uma Varicela (inevitável face aos tantos beijos besuntados do Mano) ;
- Dás uns gritinhos adoráveis quando me vês chegar, já sabes que vamos  passear depois buscar o mano;
- Já competes comigo no número de vestidos;
- Se te contrariam, fazes birra (Sais mesmo ao Pai!);
- És doida pelo Mano (juntos superam qualquer gargalhada, qualquer brincadeira, qualquer espectacularidade);
- És tão feminina e sedutora.
- Nota-se que és feliz.

Somas conquistas.
E conquistas-nos há oito meses.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

A Reinvenção dos Naipes.


Eu: Que Carta é esta, filho?
MM: 7 Coração.
Eu: E esta?
MM: 5 Folha.
Eu: Então e esta?
MM: 3 Uvas.
Eu: E agora?
MM: 9 Papagaio.

(Coração=Copas; Folha=Espadas; Uvas=Paus; Papagaio=Ouros).

terça-feira, 3 de maio de 2011

Associação de conceitos.

MM: "Mamã, já fomos a esta colher..."
Eu: "O quê, filho?!"
MM: "A esta colher! Já fomos e o Miguel Maria gostava muito de ir à colher outra vez...".
Eu: "...." = Aqueles vazios que as Mães fazem enquanto tentam raciocinar sobre algo aparentemente irraciocinável.
MM: "Vamos à colher, vamos?"

Lá peguei na colher onde ele tanto queria ir e percebi : IKEA....


**********

Eu: "Filho, diz-me lá que números estão nessas peças." (Jogo didático em cima da mesa).
MM: "1, 2, 3, 4, 5, 6, Olha-a-Bola-Manel, 8, 9....
Eu: "Quêee?!"

Lá voltei a fazer a dita pausa para o raciocinio desafiante...  No CD que ouvimos regularmente no carro, a música Olha a Bola Manel, que ele tanto adora, ocupa a 7ª posição....

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Ah pois...

Isto (o Post em baixo) é o que se chama dar o peito às balas.
Portanto agora, é preparar-me para elas! Ou seja, para as agruras e os azares.
E já começou. Fui ao supermercado e a conta já me lixou o resto da semana.

...Pero que las hay, las hay.

Dizia Cervantes a propósito das Bruxas nas quais, tal como eu, não acreditava.
Às vezes dizem-me que devo esconder a alegria, a felicidade ou tão somente a normalidade do meu dia-a-dia, porque a inveja tem muito poder, porque a má-fé não dorme , etc, etc, etc. Embora seja uma nacionalista devota, não me consigo alinhar com a cultura protecionista do "vai-se andando" ou do "vai-se mais ou menos, já se viveram dias melhores" e outros chavões igualmente mártires. Não que eu seja a tele-vendedora de optimismo em comprimidos mas, na verdade, não gosto de expor ao alheio as minhas fraquezas e as dos meus,  portanto advogo com mais facilidade o "Está tudo óptimo. Tudo corre lindamente, obrigada.".

A verdade é que existem momentos na minha vida em que a sucessão de maleitas é tão farta e forte, que quase chego a acreditar que não pode ser obra do acaso. E, embora a contra-gosto, devo admitir que por cada optimismo que vendo, me pagam com dois ou três dissabores.

Mas, bruxas-maus-olhado-enguiços-e-o-diabo-a-sete:
No fim, fica sempre tudo bem. Nem tanto por mérito meu, mas porque faço parte daquela selecção sacana que nasceu virada para uma lua brilhante. Mesmo.

E sim, está tudo bem. obrigada.
Boa semana!